Usando padrões com escalas pentatônicas. Conheça mais sobre o assunto !

Facebooktwittergoogle_plusredditpinterestlinkedinmail

 Usando padrões com escalas pentatônicas

Uma sequência de melodia é um fragmento de uma escala que, quando repetida, forma um padrão contínuo. Imagine que você subiu até o meio de uma escada, e você decidiu criar um padrão de subir e descer os degraus. Há possibilidades quase ilimitadas, mas talvez para começar você vai subir dois degraus e descer um degrau, até dois anos e, em seguida, para baixo uma vez. Enquanto parece haver muitas possibilidades de combinações, eventualmente, suas próprias limitações vão se apresentar. Por exemplo, você provavelmente não pode subir cinco degraus de uma só vez. Assim, algumas sequências serão mais práticas do que outras. Existem inúmeras possibilidades diferentes de sequência, cada uma delas com base em um padrão simples e repetitivo. É possível até mesmo combiná-los e fazer seqüências elaboradas, embora esta abordagem matemática é um pouco incomum.

A idéia desse pequeno artigo é explorar as várias possibilidades de seqüências melódicas usando a familiar forma padrão de escala pentatônica. Isso vai introduzir novas variações à aqueleas apresentadas na aula “técnica e improviação com pentatônica” partes I a V que podem ser assisitidas no site www.guitarpedia.com.br

Como exemplo vamos partir do modelo mais conhecido de escala pentatônica Am a partir da 6ª  corda 5ª casa. Veja a figura abaixo.

pentatônica Am

 

Movimentação por intervalos

Este tipo de padrão é similar a executar um a escala ascendente, exceto que cada nota é sucedida por outra nota escala, um determinado intervalo acima.

Padrões em quartas

A forma mais comum de aplicar o princípio de movimentação por intervalos para a escala pentatônica é executara escala do box apresentado acima a cada duas notas. Esta sequência resulta em movimentações por intervalos de quarta para a maioria dos saltos. Para executar esse padrão você deve partir da primeira nota e na sequencia executar a terceira nota; então você volta para a segunda nota do padrão, e executa a quarta nota na sequencia, e assim por diante.

Padrões em quartas

 

Padrões em intervalos de quinta

Outra possibilidade é executar a escala usando saltos de intervalos de quinta. Devido à eventual falta de algum salto de quinta, pode haver um intervalo de sexta, como por exemplo, a partir de “E” para “C”.

Padrões em intervalos de quinta

Intervalos de sétima

Outra abordagem é tocar a escala com saltos de intervalo de sétima. Mais uma vez, haverá alguma assimetria que resulta em saltos de sexta; de C para A, por exemplo

Intervalos de sétima

Movimentação por agrupamento de notas

Nesta técnica de execução de escalas, um número de notas é escolhido como forma de agrupamento: por exemplo, o número “3”; em seguida, um grupo de três notas é executado a partir da primeira nota da escala. Um outro grupo de três notas é jogado no segundo nota da escala, e assim por diante. Esta técnica é normalmente utilizada em grupos de três notas por tempo ou tercnias. No entanto, por que parar aí? Existem diferentes tipos de agrupamento, nas figuras abaixo existem os padrões de quatro notas e de 6 notas como exemplo.

Sequência de 3 notas

Sequência de 3 notas

Sequência de 4 notas

Sequência de 4 notas

Sequencia de 6 notas

Sequencia de 6 notas

Esses padrões de execução podem ser utilizados nos outros formatos de escala pentatônica. Veja abaixo os  5 padrões ou shapes para a escala de Am (Lá Menor) pentatônica. Você deve modificar as digitações e estudar essas formas de execução em todos os “shapes” abaixo, após esse estudo estudar também em outras tonalidades com SOL e SI Bemol. Para o estudo ficar interessante você pode utilizar o backing track disponível no nosso site www.guitarpedia .com.br.

Escala Pentatonica Menor

Acesse o site http://www.guitarpedia.com.br

 

[mailchimpsf_form][/mailchimpsf_form]

 

Facebooktwittergoogle_pluslinkedinrssyoutube