Jimi Hendrix e E.V.H. – Os Revolucionários Pt1

Facebooktwittergoogle_plusredditpinterestlinkedinmail

É inegável que assim como qualquer artista, os músicos não só exercem, mas sofrem influencia de tudo que os cercam.

Praticamente tudo pode servir como gatilho para a atividade musical, desde a influência de outros músicos ou artistas, os sons da natureza, ou por que não até mesmo o silêncio?

Os Dois Deuses da Guitarra Rock

No universo da guitarra Rock ninguém é tão influente como os mestres Jimi Hendrix e Eddie Van Halen. Até hoje os dois são divisores de água para os praticantes do instrumento, e considerados santidades das seis cordas.

Conheça www.guitarpedia.com.br, o site com mais de 700 aulas, a ferramenta online mais eficaz, para a sua evolução musical.

Jimi Hendrix

É impossível fazer uma seleção dos principais guitarristas da história da humanidade e não colocar em grande destaque James Marshall Hendrix, filho de pai negro e mãe de ascendência indígena, nascido em Seattle (Estados Unidos) em 27 de novembro de 1942, e que conquistou o mundo sob o nome de Jimi Hendrix.

Com um começo árduo, e certa rejeição nos Estados Unidos, Hendrix foi tentar a “sorte” na terra da rainha, e lá conquistou seus primeiros admiradores, entre eles ninguém menos do que Eric Clapton. Foi nos bares londrinos que Jimi começou a despontar para o mundo.

Com uma trajetória meteórica (considerando que sua carreira realmente decolou a partir de 1964), ele deixou apenas quatro discos oficiais gravados entre 1967 e 1970, os quais simplesmente redefiniram a forma de tocar guitarra. Mas com certeza o seu maior legado foram as suas apresentações ao vivo, todas elas eram avassaladoras e cheias de energia.

A Carreira Consolidada

Em uma época em que a palavra precária podia ser considerada suave para descrever a qualidade dos instrumentos e equipamentos em geral, Jimi tirava de sua guitarra um som único, pesado, sujo e ao mesmo tempo, melancólico e melodioso. Com certeza essa sonoridade era uma herança clara do blues americano.

Somada a essa sonoridade no mínimo desbravadora, Jimi executava performances de total entrega a música, desempenho esse muitas vezes aditivado pelo uso de substâncias ilícitas, o que rendeu episódios até hoje considerados seminais para a história do Rock, como o ritual que culminou com a imolação de sua guitarra no palco do festival de Monterey, em junho de 1967.

Morte e Legado

Jimi morreu no dia 18 de setembro de 1970 em Londres, após uma overdose de pílulas para dormir, aos 27 anos de idade (a idade fatal para diversos ícones da música).

A despeito de sua curtíssima carreira Jimi conseguiu com que seu legado musical e de inovações em equipamentos fosse admirado e reverenciado até os dias de hoje.

Para mais informações sobre teoria musical, história de música e conhecimentos em guitarra acesse www.guitarpedia.com.br. Visite também nossa página no facebook para acompanhar as novidades!

Facebooktwittergoogle_pluslinkedinrssyoutube