Os Castrati

Facebooktwittergoogle_plusredditpinterestlinkedinmail

Para muitas pessoas, abrir mão de parte ou até mesmo de um membro do seu corpo, como um meio para um fim, é simplesmente inconcebível.

Mas por mais estranho que isso possa parecer, séculos atrás essa pratica foi demasiadamente utilizada, muito estimulada pela igreja europeia e para fins musicais.

Aos olhos de uma sociedade do século XXI, a prática da castração parece ser um procedimento terrível e desumano, mas surgiu e se estabeleceu desde a antiguidade, constituindo um grupo de homens castrados e cultos, muitas vezes grandes militares e filósofos que normalmente estavam a serviço do Estado ou da Igreja.

Conheça www.guitarpedia.com.br, o site com mais de 900 aulas de guitarra, a ferramenta online mais rápida e eficaz, para a sua evolução musical.

O mais antigo registro de castração intencional para criar eunucos (homem cujos testículos foram removidos, ou são congenitamente não funcionais) vem da cidade suméria de Lagash no século XXI a.C. mas foi muito praticado na Ásia, sobretudo na China antiga, na Índia os castrados são conhecidos como hijras.

Se analisarmos ao longo da história homens e crianças foram castrados segundo quatro grandes vertentes: questões judiciais (punição), recomendações médicas, motivação religiosa e motivação musical.

Os Cantores Castrados (Os Castrati)

Existem registros da castração de jovens cantores (ou castratismo) desde o início do Império Bizantino, em Constantinopla em torno de 400 d.C. a imperatriz bizantina Élia Eudóxia tinha um coro cujo mestre era um eunuco, que pode ter estabelecido o uso dos castrati em coros bizantinos. Por volta do século IX, cantores eunucos eram bem conhecidos, e permaneceram assim até o saque de Constantinopla pelas forças ocidentais da Quarta Cruzada em 1204.

Após esse período, tal prática para fins musicais caiu em desuso. Mas em meados do século XV, com o avanço da polifonia coral e a fundamentação na divisão das vozes humanas em graves (baixo e tenor) e agudas (contralto e soprano), a prática voltou a ser empregada.

A Cirurgia

A orquiectomia (procedimento cirúrgico no qual os testículos são retirados através de uma incisão de cerca de dez centímetros paralela à virilha) era realizada com a intenção de impedir a liberação dos hormônios sexuais produzidas pelos testículos, para a corrente sanguínea, as quais provocariam o crescimento normal da laringe masculina (para o dobro do comprimento) fazendo a voz descer sua tessitura em geralmente uma oitava, entre outras características sexuais secundárias, como o crescimento da barba.

Tal procedimento se via necessário na época, pois se leva anos para formar um grande cantor, e por mais jovem que ele comece só irá alcançar o auge técnico na adolescência, ou idade adulta, idade que não preservaria mais a sua voz “pura” e infantil.

O Começo de um Castrado

Quando um garoto entre oito e doze anos começava a dar sinais de que poderia vir a ser um bom cantor, era distinguido dos outros pelo Maestro di Musica (profissional responsável pela educação musical das crianças).

Posteriormente se conversava com a família do garoto, que geralmente campesina e pobre, aceitava e até se estimulava a castração do garoto, vislumbrando para a criança um futuro promissor.

As Cidades Dos Castrati

A Itália foi onde os castrati se tornaram mais populares, e algumas cidades se tornaram marcos na formação desses cantores ou na realização da cirurgia de retirada dos testículos.

Bolonha era o principal centro onde se realizava essa cirurgia, com os melhores barbeiros cirurgiões, mas é provável que a cirurgia tenha sido praticada em quase toda a Itália, principalmente cidades como: Milão, Veneza, Florença, Roma, Nápoles, entre outras. Já a Nápoles, cabia à fama de melhor centro de treinamento vocal para esses meninos.

O Fim de Uma Era

Em 1870, a prática de castração destinada a este fim foi proibida na Itália, o último país onde ainda era efetuada. Em 1902, o Leão XIII proibiu definitivamente a utilização dos castrati nos coros das igrejas. O último castrado a abandonar o coro da Capela Sistina foi Alessandro Moreschi, em 1913.

Farinelli

Carlo Maria Michelangelo Nicola Broschi, mais conhecido por Farinelli é considerado uma lenda da música, para muitos foi o maior cantor que já existiu, e com certeza o castrado mais famoso de todos os tempos, no século XVIII chegou a ser o mais popular e bem pago cantor de ópera de toda Europa.

Mas a sua biografia completa será tópico para um novo post, em breve.

Visite o site www.guitarpedia.com.br, e curta a nossa página no facebook para interagir conosco!

Fonte Bibliográfica: BARBIER, Patrick. História dos Castrati

Facebooktwittergoogle_pluslinkedinrssyoutube