A carreira de um músico de apoio

Facebooktwittergoogle_plusredditpinterestlinkedinmail

Ao decidir se tornar um músico profissional, lembre-se que existem vários caminhos para seguir sua carreira. Uma delas é o músico de apoio, também chamado de “sideman”. A função é acompanhar artistas ao vivo e atuar em estúdio gravando. Essa função exige que o músico tenha a habilidade de tocar diversos estilos de música. Músicos de apoio geralmente são trabalhadores autônomos, e quando não estão tocando, precisam lidar com questões burocráticas e administrativas da profissão, estar sempre em contato com outros músicos e, é claro, estudando.

Músicos de apoio trabalham com produtores, líderes de bandas ou artistas solo e outros músicos.

Progresso

Nessa carreira progresso significa construir uma grande reputação ou obter uma taxa de remuneração mais elevada. “Você deve sempre aumentar sua network para conseguir mais trabalhos” é o conselho da musicista de apoio britânico Charlotte Glasson. “Varia bastante, dependendo do projeto. Muitas vezes eu consigo ganhos maiores por mais sessões de estúdio, tocando vários instrumentos.”

Conheça o Guitarpedia: www.guitarpedia.com.br

Estudos

Curso superior nem sempre é necessário, mas um grande conhecimento em técnica e teoria musical é. Também é benéfico ao tocar diversos instrumentos. Glasson diz que cresceu improvisando e percebeu os benefícios ao ler partituras, o que economiza tempo nos estúdios, que por muitas vezes, cobram altos valores por tempo de uso. Mas também aperfeiçoou seu ouvido e a capacidade de fazer arranjos. “Sou uma musicista de Jazz, o que me obriga a ter uma boa técnica e muita experiência em vários estilos de música”. A melhor experiência a se ter pode ser resumida em tocar em diversos shows, conhecer e tocar com diversos músicos e aprender como esses músicos usam a linguagem para se comunicar.

 

Experiência e habilidades

Obter experiência nos palcos é essencial, não só pela técnica em si, mas por conhecer outros músicos e conseguir novas oportunidades de trabalho. A maioria dos músicos de apoio têm suas próprias bandas. Sobre habilidades, Glasson diz que é fundamental você ter uma cabeça fria e ser confiante, mas não ser arrogante para com suas habilidades. “Eu toco em várias bandas e nisso, há várias pessoas vendo e analisando o seu modo de tocar. Ler partituras é algo benéfico, assim como tocar de ouvido e se adaptar, de acordo com o que o artista pede.”

 

Personalidade

Procure não chegar atrasado em ensaios, shows e reuniões. Ao se atrasar, perderá “pontos” com o músico ou produtor que te contratou. É como se fosse em um emprego numa empresa convencional. “Trabalhei várias vezes com Herbie Flowers, baixista do Lou Reed em “Walk on the Wild Side” diz Glasson. “Ele sempre esteve 2 horas antes em tudo. Então, nunca esteve atrasado, sempre pôde tomar um café, comer algo antes de qualquer coisa, sem pressa.”

“Você tem que saber lidar com a pressão. Uma vez trabalhei com a orquestra da BBC em que o flautista não conseguia tocar direito, logo, tivemos que fazer a mesma peça um milhão de vezes. Para não ser esse cara, você precisa estar em foco, com a mente e corpo descansados. Você não vai querer ser a pessoa que vai arruinar tudo, não é?”

 

Estilo de vida

Glasson diz fazer várias coisas para viver. Toca ao vivo com bandas, compõe arranjos, produz e mixa gravações, cria flyers e artes para cds, entre outras coisas em adição à sua função de musicista de apoio. “Todos os dias estou respondendo e-mails ou falando ao telefone. Tenho em média, de 4 a 7 shows por semana e algumas sessões de estúdio. Isso foi construído de boca em boca, de acordo com que eu fui conhecendo músicos, desde a minha adolescência. Não existe uma carga horária exata. Você pode ter que tocar hoje a noite e entrar no estúdio a manhã seguinte.” O mesmo vale para seus ganhos: procure aumentar seu network, faça contatos, deixe-os saber que você é um bom músico e valorize seu trabalho.

Glasson ainda recomenda que os músicos sejam ativos nas redes sociais, tenham um canal no Youtube, Website, Soundcloud e afins. Uma página no Facebook e Twitter também é interessante para mostrar seu trabalho às pessoas que você ainda não conhece.

 

Para mais artigos como esse, visite: www.guitarpedia.com.br

Facebooktwittergoogle_pluslinkedinrssyoutube